Carta do Ouvinte Adriano “Mágico”

Saudações informativas queridos leitores!

Conforme eu disse no Paranerdia 50a – Guerra nas Estrelas, o leitor Adriano “Mágico” Tume me enviou uma gigantesca mensagem de e-mail,impossível de ser lida nos NerdMails. Como eu não poderia deixar vocês, leitores e ouvintes sem essas informações sensacionais, eis aqui, na íntegra, o relato do Sr. Mágico!

Apreciem:

 

Salve Nerdmaster.

Muito legal este programa e aproveito para dar meus parabéns ao Mozenjaa e ao Fire pela excelente participação.

Claro que não daria para falar de todos os animes excelentes desta época. Sou de 74 e sei muito bem disto. Espero realmente que esta seja a primeira de muitas visitas aos anos 80, e aos 70 também, porque não?

Só tenho uma critica: Porque diabos na musica que abre o cast, você rolou o tema de Dragon Ball GT[bb] em um programa cujo tema era os anos 80? Ficou meio fora de foco, embora as versões do Gaijin Sentai[bb] sejam sempre muito legais. Teria sugerido o tema deGroizer X[bb] – ou Pirata do Espaço[bb], mas não a versão cantada, ou o tema de Yamato[bb] mesmo.

Nota do NerdMaster: O tema de abertura foi o de Dragon Ball GT[bb] cantado pela banda Gaijin Sentai porque eu ganhei este CD promocional do Senpuu.com.br e prometi usar as músicas no Paranerdia!

Curti todos os animes citados, até porque me lembro de todos eles, em especial Dartagnan e os Três Mosqueteiros[bb], um que guardo com carinho na lembrança e um excelente exemplo de como os animes daquela época sabiam como mesclar humor e drama, com dosagens bem atípicas para um anime dito “para crianças”. O outro é Yamato[bb], mas sobre ele prefiro comentar mais tarde.

Ao invés de reclamar da falta de informações, vamos colaborar complementando o que foi dito no cast? E antes que pergunte, sim, estou falando de cabeça.

Sobre Macross[bb]: a versão Robotech[bb] realmente reunia, em uma versão “sabanizada”, três animes, Macross[bb], Southern Cross[bb] (ambos com visual extremamente parecido) e Climper Jumper Mospeada[bb] (que usavam motos que se transformavam em armaduras). Eu só lembro do primeiro ano, referente a fase Macross e pouca coisa de Southern Cross, ambos exibidos na Globo[bb]. O Macross mesmo, o original, só foi exibido pela Gazeta[bb] com o nome de Guerra das Galáxias[bb]. Por questões de direitos, tornou-se mais fácil achar material de Robotech do que de Macross no Brasil, e isto se comprova pela existência das HQs, fitas de vídeo e DVDs de Robotech, lançados no Brasil, porém a diferença real entre Robotech (pelo menos apenas o primeiro ano, ou temporada) e Macross, esta nos nomes dos personagens e dos mechas. O caça-robô, por exemplo, se chamava Valkyrie[bb] no Macross e Veritech[bb] no Robotech.

Alguns anos atrás, algumas lojas de brinquedos, incluindo as Lojas Americanas[bb] (sem intenção de jabá, só informando), trouxeram alguns robôs transformáveis e dentre eles estava o Valkirye, só que dourado. Desta mesma linha, destacava outro robô famoso: A Astro Mega-Nave de Power Rangers in Space[bb], ou Megaranger no original.

Sobre Yamato, este sim, é o meu anime do coração. Digo isto, pois estava internado na época em que foi exibido e era a única coisa que dava para assistir. Quando minha mãe foi me buscar, o Yamato foi à primeira coisa que queria ver e não sei por que, relaciono demais a Patrulha Estelar[bb] com a minha mãe, tendo por isto, um fortíssimo elo emocional com a série.

Patrulha Estelar, junto com Pirata do Espaço e o Lord Gato[bb] (lembra dele? Virou Heathcliff[bb] em uma continuação no SBT[bb]), foram os primeiros animes a serem exibidos pela Rede Manchete[bb] de São Paulo, em um programa infantil que rolava lá pelas 6 da tarde, mostrando desde então que não só era possível fugir do horário da manhã para programas ditos infantis (e era a Xuxa em sua estreia como apresentadora na Manchete) e jogando animes bem pesados para antes da janta e bem na hora da novela das seis. Para falar a verdade, justamente por causa destes animes, ignorava completamente as outras emissoras, dando preferencia apenas a Manchete. Depois de Jaspion[bb] e Cavaleiros do Zodíaco[bb] a coisa só ficou pior.

Voltando ao assunto. Patrulha Estelar era a versão nacional adaptada e não traduzida ao pé da letra de Star Blazers[bb], que por sua vez, era uma versão editada de Uchuu Senkan Yamato[bb], ou como se tornou meio que oficial: Space Battleship Yamato[bb]. O nome patrulha estelar era o nome dado a tripulação da Argo, referente à Star Force de Star Blazers. O nome da nave foi alterado de Yamato para Argo, na versão americana justamente pelo receio em tornar heróis, um dos grandes “vilões” que os americanos tiveram que enfrentar durante a Segunda Guerra Mundial: o encouraçado Yamato, o mais poderoso navio de guerra daquela época e o maior de todos os tempos. Embora considere tal fato uma estupidez, sou obrigado a admitir que a versão Star Blazer, salvo alguns cortes, era bastante fiel á versão original e os nomes da tripulação, que também foram alterados, até hoje causam confusão sobre a preferencia. Por exemplo, eu prefiro Yamato a Argo, embora goste muito deste ultimo; Para mim será sempre Wildstar e não Kodai, mas com certeza, jamais direi Deslar e sim Líder Deslok.

Patrulha Estelar foi e ainda é um dos animes mais pesados que já vi. Tudo porque a história gira em torno do sacrifício, do esforço de uma heroica tripulação em uma viagem praticamente suicida, mas que precisa ser feita a qualquer custo e o sangue realmente rola na série. Personagens morrem definitivamente e geralmente de forma bastante dramática, causando um grande respeito a quem o assiste.

No Brasil foram exibidas duas temporadas: Cometa Império e Crise do Sol. A primeira, Viagem a Iscandar, segundo reza a lenda, teria sido exibida apenas no Rio de Janeiro como exibição teste e nunca foi vista dublada no restante do país. Chamo isto de lenda, pois nunca vi ou conheci alguém que de fato tenha visto a versão dublada da primeira temporada.

Yamato possui além das três temporadas, seis longas-metragens, longas mesmo, pois nenhum deles possui menos que duas horas de duração: Iscandar[bb] (filme resumo da primeira temporada), Saraba Yamato[bb], New Voyage[bb], Be Forever[bb], Final Yamato[bb] e finalmente, Yamato Fukkatsu-hen[bb] ou Rebirth, lançado apenas em 2009, após quase 30 anos de distancia entre Final e Rebirth por causa de uma disputa judicial pelos direitos da série, entre o produtor Yoshinobu Nishizaki e o artista responsável por praticamente tudo na série, Leiji Matsumoto.

Saraba Uchuu Senkan Yamato – Ai no Senshitachi (travei o cérebro a gora), ou Farewell to Space Battleship Yamato, o segundo longa, seria na verdade o final verdadeiro de Yamato e leva o conceito do sacrifício ao nível extremo. Este final se tornou uma linha alternativa, uma realidade paralela e desconsiderada da cronologia oficial, tendo sua história readaptada para a segunda temporada: O Cometa Império.

E para completar, temos o longa em live Action: Space Battleship Yamato. Ele é uma mistura do enredo da primeira temporada com Saraba Yamato, principalmente no que diz respeito ao final e, com foi dito, é um filme preferencialmente para Iniciados, pelo menos no Brasil já que no Japão eu duvido que tenha alguém que não conheça a série original. É um filme feito por e para japoneses e por isto, não segue as convenções de enredo e interpretações que estamos acostumados com os filmes hollywoodianos, mesmo assim, é um baita filme e deve ser visto, o que me fez lembrar de te dar um cartão amarelo, Nerdmaster. Poxa justo você, participante do Blog do Jotacê não viu este filme?

Nota do NerdMaster: E o que tem a ver eu ser colaborador do Blog do Jotacê e não ter visto esse filme?? Por acaso foi lançada uma edição em DVD aqui no Brasil? Que eu saiba não!! >:(

Paralelo a isto tudo, tem o filme Yamato, um live action que conta a história do encouraçado original e sua ultima batalha. Outro filme muito emocionante e que explica, de forma magistral, o porquê do tom extremamente dramático que existe em Patrulha Estelar. Honestamente, eu recomendo muito ver este filme, antes de ver a animação ou o live action, para entender o porquê do Yamato ser tão especial, pois mais do que os tripulantes, a própria nave é o verdadeiro personagem principal e herói da série. E ela tem um passado glorioso que é muito bem retratado neste filme.

E só para encher a paciência, uma desculpa plausível para a escolha do Yamato para ser usado como nave é esta aqui: com a parte do oceano onde repousava completamente seco por causa das bombas gamilons, uma estratégia foi posta em prática. Já que as naves modernas da Frota da Terra não conseguiam furar o bloqueio de naves gamilons, foi imaginado que, se uma nave, aparentando fragilidade e velhice, mas na verdade, secretamente era pesadamente armada, não uma teria chance de enganar os comandantes inimigos que enviariam uma força reduzida, pois considerariam a tal nave fraca demais para usar força total. Se isto fosse possível, tal nave teria condições de burlar a defesa e seguir adiante em sua viagem. Com o Yamato descoberto e sendo ele um símbolo de heroísmo e resistência, aliado aos quase 200 anos de existência, poderia ele não só enganar os gamilons, afinal era uma nave de 200 anos e ao mesmo tempo elevar o moral e a esperança da humanidade em sua luta pela sobrevivência? Para saber o resultado, basta ver a série.

Se Deus quiser, Yamato retorna em abril de 2012.

Já chega. Tem muitas coisas ainda por comentar sobre os animes que mencionou no cast. Queria muito comentar sobre o OVA de Zillion – Burning Night[bb], que lembra demais o filme Street of Fire[bb] (Ruas de Fogo[bb] ) e sobre outros animes desta época, mas fica para depois. O importante é que deixo um pouco da minha contribuição e espero ouvir mais casts de qualidade como o que acabei de ouvir neste ultimo.

Queria ter lhe enviado como e-mail, e o escrevi pensando nisto, mas vou deixa-lo nos comentários também, pois sei que ficou grande demais.

Parabéns mais uma vez a você, ao Mozenjaa e ao Fire. Um abraço a todos e até a próxima.

Até.

Mágico

 

É por causa de leitores/ouvintes como esse que eu ADORO fazer o PAranerdia!!!

Vida Longa e Próspera

Leave a Reply

'